PL 122 -Liberdade de Expressão ou cristofobia?

A aprovação do projeto de lei conhecido como PL-122 é a grande expectativa dos homossexuais. Se aprovado no senado (o que não será nada fácil) os homossexuais terão o privilégio especial de serem os únicos neste país que serão isentos de receberem uma só crítica. Imagine! De acordo com o PL 122 criticar a prática do homossexualismo já seria motivo suficiente para alguém ser taxado de preconceituoso e homofóbico e o resultado seria um imediato processo judicial e cadeia.Esta lei se aprovada incentivará os homossexuais a expor suas preferências sexuais em todos os lugares públicos sem pudor nenhum.

Um novo perfil de presidiários

Pregador nenhum que se preze deixará de pregar a Palavra de Deus. E o resultado? Imaginemos: entre outras questões, será que haveria espaço suficiente para colocar uma multidão de pastores e pregadores leigos? Como ficaria o orçamento da união tendo que alimentar tanta gente na prisão? Quanto o governo gastaria na contratação de agentes penitenciários para atender tantos presos? E o custo da alimentação deles? Quantos milhões seriam gastos ainda para a construção de novos presídios só para esta finalidade? E por último como ficaria a quantidade de processos na justiça decorrente dessa lei cretina?

Manifestações públicas irreverentes

As manifestações públicas que exaltam o homossexualismo não têm sido nada discretas. Há muita irreverência e falta de respeito para com a sociedade hetero. Quem não lembra da ousadia que ocorreu durante a Parada Gay de 2011 em São Paulo, onde os símbolos da igreja católica foram ridicularizados publicamente. Naquela ocasião até a imprensa, misteriosamente, ficou calada enquanto os católicos tiveram seus sentimentos e convicções religiosas ultrajados. Precisamos refletir seriamente: Isto é liberdade de expressão ou é mais uma expressão da ditadura gay? Será que já chegou o fim dos tempos, os tempos difíceis e trabalhosos como a Bíblia diz?

“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus.” (2 Timóteo 3.1-4)

Pl 122 – Cristofobia explícita

A Bíblia reprova definitivamente o comportamento homossexual em todas as suas formas. Ela simplesmente fala a verdade, mostra a depravação da sodomia e desmascara o estilo de vida promiscua dos homossexuais, daí a razão pela qual o ódio gay se volta contra quem usa a Bíblia como fonte de suas mensagens. Mas a Bíblia também apresenta um plano maravilhoso para transformar a vida de qualquer pecador.

A Bíblia visa o bem-estar da sociedade em todos os sentidos. Em Mateus 5.13,14 Cristo chama a igreja de sal da terra e luz do mundo. Como sal ela prega contra toda a corrupção moral, e como luz ela aponta o caminho da restauração e salvação da humanidade. Essa é missão da igreja na terra. Enquanto realiza sua obra a igreja também aguarda a qualquer momento a volta de Cristo para arrebatá-la. Então sua missão evangelística terá chegado ao fim. Nesta época sim, ocorrerá a completa corrupção moral do mundo. Trevas espirituais virão a todos os que rejeitaram o governo de Deus em suas vidas. Mas o mundo não ficará impune nos deleites de sua libertinagem. O mesmo Senhor voltará outra vez, não mais como salvador, mas Ele “vem a julgar a terra; julgará o mundo com justiça e os povos com a sua verdade.” (Em Salmos 96.13) Então é tempo de se arrepender dessas ilusões carnais.

Textos relacionados:
PL 122 Cria o grupo dos privilegiados

21 de dezembro – Será o Fim do Mundo?

A televisão, jornais, revistas, estúdios cinematográficos e centenas de sites dão importância à falsa notícia de que daqui a exatamente um ano o mundo acabará. Muitos dizem que para a data de 21 de dezembro de 2012 está previsto um avalanche de desastres sem precedentes: inundações, secas, fome, doenças, guerras, caos econômico, etc. Afirma-se que cidades inteiras serão destruídas por enormes tsunamis, furacões, erupções vulcânicas e altas temperaturas, etc.

Há quem pense também que 21 de dezembro será o início de uma nova era, assinalado por mudanças positivas. Fala-se de uma época de convivência harmoniosa onde a justiça e igualdade social alcançarão a todos. Porém ambas as teorias não passam de especulações humanas.

Mas por que 21 de dezembro de 2012?

No antigo calendário maia o tempo era medido em unidades de vinte. Vinte dias (vinte kin) correspondiam a uma winal (um mês) dezoito winals a um tun (um ano), vinte tuns a um katun (vinte anos) e vinte katuns a um baktun (quatrocentos anos). Segundo o calendário maia estamos no fim da presente era, quando então se completarão treze baktuns. Em nosso calendário isto cai em de 21 de dezembro de 2012, que coincide com o solstício de inverno. Daí a hipótese de uma mudança de era. Vale ressaltar que trata-se apenas de uma teoria. Não há base científica para a ocorrência de tal catástrofe! São conjecturas humanas com a finalidade de obter lucros causando pânico na humanidade. Os propagadores destas idéias se baseiam em dados não comprovados e, portanto mentiras. Cristo nos advertiu antecipadamente: “E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.” (Mateus 24.11)

Deus não revelou a data exata do fim do mundo!

Em Deuteronômio 29.29 lemos assim: “As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei.”

Por que então muitos crêem e divulgam falsas predições?

O ser humano prefere crer no homem que em Deus que não erra. Em sua Palavra Ele nos diz solenemente: “É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem.” (Salmos 118.8); “Os que confiam no Senhor serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre.” (Salmos 125.1)

Mas haverá mesmo um período de cataclismo mundial? O que a Bíblia diz sobre isto?

Em Mateus 24.14 Cristo se expressou assim: “E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.” Todos os acontecimentos futuros estão atrelados à volta de Cristo, o arrebatamento quando então Ele vier para levar para si os salvos.

Os discípulos de Cristo perguntaram-no que sinais haveria de Sua vinda e do fim do mundo. “E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos. e ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores.” (Mateus 24.4-8)

O que está acontecendo em nosso planeta são apenas os sinais, “o princípio das dores.” Em nenhum momento, em livro da Bíblia Deus declara a data específica do fim do mundo! A Bíblia realmente afirma que haverá um período de cataclismo mundial, chamado de “A Grande Tribulação”, mas tudo está atrelado à volta de Cristo, a qual pode ocorrer a qualquer momento: hoje, amanhã, daqui a dez ou vinte anos (ou vinte baktuns) ou mesmo após a leitura deste texto! Cristo nos deixou apenas um alerta: “Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir.” (Mateus 25.13)

A Bíblia não fala nada sobre 21 de dezembro de 2012?

Absolutamente não. A única coisa que Jesus alertou foi sobre os sinais do fim dos tempos. Marcar datas específicas é coisa de falso profeta. Ao longo dos séculos eles têm desestabilizado o mundo com falsas notícias. Ah, se todos conhecessem a verdade da palavra de Deus! Em provérbios 1.33 Deus se expressa assim: “Mas o que me der ouvidos habitará em segurança, e estará livre do temor do mal.” Você crê na Palavra de Deus ou de alguma forma se preocupa com estas falsas notícias?

Os salvos esperam a volta de Cristo a qualquer momento. Em Hebreus 10.36,37 lemos assim: “Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa. Porque ainda um pouquinho de tempo, e o que há de vir virá, e não tardará.”

E se Cristo não tiver voltado antes de 21 de dezembro de 2012…

Estamos a exatamente um ano do suposto dia da catástrofe. Se Cristo não tiver voltado antes desta data, 21 de dezembro de 2012 será um dia tão normal quanto outro qualquer! E como saber se a Bíblia tem razão? É bem simples: Em Deuteronômio 18.21,22 está escrito: “E, se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que o Senhor não falou? Quando o profeta falar em nome do Senhor, e essa palavra não se cumprir, nem suceder assim; esta é palavra que o Senhor não falou; com soberba a falou aquele profeta; não tenhas temor dele.”

Não esperemos apenas por mais uma decepção dessas falsas predições, estejamos preparados para a volta do Senhor a qualquer momento, isto é o mais importante de tudo, pois está escrito: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.” (1 Tessalonicenses 4.16-18)

Vivendo como filho de Deus

 “Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver.” (1 Pedro 1.14,15) Este texto retrata a vida de um verdadeiro filho de Deus. Percebe-se claramente que houve uma mudança em seu estilo de vida. Na prática ser santo não tem nada a ver com uma meta espiritual inatingível, mas um simples propósito de se manter íntegro diante das ofertas ilícitas deste mundo. Em outras palavras: separar-se do pecado e aproximar-se de Deus com o propósito de agradá-lo em tudo. Quando Deus é exaltado em nosso estilo de vida simplesmente estamos sendo santos!

Sabemos que este mundo está perdido em suas práticas imundas. Diante de tanta injustiça e infidelidade, cada um de nós deve perguntar a si mesmo: estamos vivendo como filhos de Deus ou não? Se nossa resposta for afirmativa, Deus está sendo glorificado. Vejamos algumas evidências sobre este fato:

Segundo a Bíblia, você recebeu a Cristo como Salvador
Está escrito: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome.” (João 1.12)

Como filho de Deus você é guiado pelo Espírito Santo e não está mais preso pelo pecado
Está escrito: “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos Aba Pai.” (Romanos 8.14-15)

Como filho de Deus você pratica a justiça, não vive em inimizades, e nem está em trevas
Esta escrito: “…e os que se embriagam, embriagam-se de noite. Mas nós, que somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e do amor, e tendo por capacete a esperança da salvação.” (1 Tessalonicenses 5.7-8) “Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo. Qualquer que não pratica a justiça, e não ama a seu irmão, não é de Deus.” (1 João 3.10)

Como filho de Deus você possui um correto entendimento sobre a adoração verdadeira
Está escrito: “E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna. Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. Amém” (1 João 5.20,21) “Assim que já não és mais escravo, mas filho; e se és filho, és também herdeiro de Deus por Cristo. Mas quando não conhecíeis a Deus, servíeis aos que por natureza não são deuses.” (Gálatas 4.7,8)

Como filho de Deus você entende que Deus é separado do pecado e seus filhos também devem ser
Está escrito: “Portanto sejam, imitadores de Deus, como filhos amados; e vivam em amor, como também Cristo nos amou, e se entregou por nós como oferta e sacrifício de aroma agradável a Deus. Mas a prostituição, e toda a impureza ou avareza, nem ainda se nomeie entre vós, como convém a santos; nem obscenidades, nem conversas tolas, nem gracejos imorais que não convém; mas antes, ações de graças. Porque bem sabeis isto: que nenhum imoral, ou impuro, ou ganancioso, o qual é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus. Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor, andai como filhos da luz.” (Efésios 5.1-5,8)

Textos relacionados:
Somente ele
Perguntaram a Jesus: Senhor são poucos que se salvam?
O assunto mais importante do mundo
Estudos Bíblicos para Novos Convertidos

A Revelação Natural

Muito antes de existir o mundo
“Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, mesmo de eternidade a eternidade, tu és Deus.” (Salmos 90.2)

Como o mundo foi criado?
“Pela palavra do Senhor foram feitos os céus, e todo o exército deles pelo espírito da sua boca. Ele ajunta as águas do mar como num montão; põe os abismos em depósitos. Tema toda a terra ao Senhor; temam-no todos os moradores do mundo. Porque falou, e foi feito; mandou, e logo apareceu.” (Salmo 33.6-9)

Qual o material usado?
Nada. É simplesmente como está escrito: “Porque falou, e foi feito; mandou, e logo apareceu.” Impossível? Também está escrito: “Eis que eu sou o Senhor, o Deus de toda a carne; acaso haveria alguma coisa demasiado difícil para mim?” (Jeremias 32.27); Cristo declarou: “Porque para Deus nada é impossível.” (Lucas 1.37)

Simples ou complexo?
“Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas. Assim é este mar grande e muito espaçoso, onde há seres sem número, animais pequenos e grandes. Ali andam os navios; e o leviatã que formaste para nele folgar. Todos esperam de ti, que lhes dês o seu sustento em tempo oportuno.” (Salmos 104.24-27)

Perguntas não respondidas
Jó, lançou inúmeras perguntas aos ares. Então um dia Deus também lhe perguntou: Jó, “onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-me saber, se tens inteligência. Quem lhe pôs as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel? Ou quem encerrou o mar com portas, quando este rompeu e saiu da madre; quando eu pus as nuvens por sua vestidura, e a escuridão por faixa? Quando eu lhe tracei limites, e lhe pus portas e ferrolhos, E disse: Até aqui virás, e não mais adiante, e aqui se quebrarão o orgulho de tuas ondas empoladas? (Jó 38.4,5,8) Jó não pôde responder estas perguntas elementares. Então ele se humilhou diante de Deus: “Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido; por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza.” (Jó 42.2,6)

Fé simples
Davi sem dificuldade nenhuma reconheceu a soberania de Deus: Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra, pois puseste a tua glória sobre os céus! Tu ordenaste força da boca das crianças e dos que mamam, por causa dos teus inimigos, para fazer calar ao inimigo e ao vingador. Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste; todas as ovelhas e bois, assim como os animais do campo, as aves dos céus, e os peixes do mar, e tudo o que passa pelas veredas dos mares. Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome sobre toda a terra!” (Salmos 8.1-3,7-9)

O que mais Deus nos ensina através do universo
“Os céus anunciam a sua justiça, e todos os povos vêem a sua glória.” (Salmos 97.6) “Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis.” (Romanos 1.20) “E de um só fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação; para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não está longe de cada um de nós.” (Atos 17.26,27)

Por que pensar coisas vãs acerca da obra de Deus?
Diante da majestade de Deus todo ser humano deveria procurar ter um relacionamento com Ele. Deus mesmo nos aconselha assim: “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar. Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.” (Isaias 55.6-9); “O Senhor é bom para todos, e as suas misericórdias são sobre todas as suas obras.” (Salmos 145.9)

Não devemos confundir
Muitos confundem o Criador com a sua obra e argumentam: Deus é tudo e tudo é Deus. Porém a Palavra de Deus nos ensina assim: “Ó, vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do Senhor que nos criou.” (Salmos 95.6) Ainda em Salmos 100.3 lemos: “Sabei que o Senhor é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto.” O que ocorreu quando o pecado entrou no mundo? Está escrito: “Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.” (Romanos 1.25) Fomos criados com o propósito exclusivo de trazer glória, louvor e honra ao Senhor. Assim como está registrado no último livro da Bíblia: “Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas.” (Apocalipse 4.11) Estamos vivendo segundo este propósito?

Textos relacionados:
Vamos crer ou não?
Razões para confiar
O caráter de Deus em nós

O assunto mais importante do mundo

Entre as coisas mais importantes deste mundo, estão a saúde, a formatura, o emprego, o casamento, a casa própria, as diversões, etc. Nada de anormal estas coisas, mas devemos lembrar que não fomos criados para dedicar-nos exclusivamente a isto. Deus tem em mente estabelecer um profundo relacionamento conosco. Usufruir somente dos bens matérias, sem considerar Deus em nossa existência comprometerá completamente a nossa eternidade!

Na bíblia temos um relato da geração de Noé a qual viveu indiferente às questões espirituais. A sociedade antidiluviana foi muito próspera materialmente, porém muito carente de Deus. Eles não conheciam quem é Deus, de fato, o seu amor, justiça e misericórdia. Estavam totalmente distraídos em suas atividades profissionais e diversões que não tinham qualquer tempo para se dedicarem ao Criador. Aquela geração havia recebido uma promessa referente à salvação. Deus prometera enviar um Salvador ao mundo para que, através dele, fôssemos salvos do pecado que veio por meio de Adão e Eva. Todos os que criam nesta promessa antes mesmo da vinda do Salvador estariam salvos. Eles tinham uma esperança. Como eles deveriam então se comportar? Em 1 João 3.3 lemos assim: “E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro.” Porém sobre os contemporâneos de Noé lemos assim: “A terra, porém, estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência.” (Gênesis 6.11) Finalmente Deus comunicou a Noé a mensagem do juízo sobre o pecado: “Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé.” (Hebreus 11.7)

Deus é fiel. Há mais de dois mil anos Deus cumpriu a promessa da salvação enviando Cristo ao mundo. Em Romanos 4.25 lemos: “o qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação.” Em Hebreus 5.9 lemos “E, sendo ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que lhe obedecem”; Agora temos outra promessa feita pelo próprio Cristo: Ele voltará a qualquer momento para levar os que creram e obedecem à sua Palavra. Em Hebreus 10.37 lemos: “Porque ainda um pouquinho de tempo, e o que há de vir virá, e não tardará.”

Será que a nossa geração é muito diferente da de Noé? Será que se leva em conta a salvação providenciada por Cristo? Em Lucas 17.26-30 Cristo mesmo declarou: “E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem. Comiam, bebiam, casavam, e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, e os consumiu a todos. Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: Comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os consumiu a todos. Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar.” (Lucas 17.26-30)

A nossa geração é tão descompromissada quanto à de Noé. Em 2 Timóteo 3.2-4 está escrito: “Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus.” Quem subsistiria ao Juízo de Deus nestas circunstâncias? Em Salmos 1.5 lemos assim: “Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos.”A única maneira de sermos livres do grande julgamento é ter os nossos pecados perdoados. Está escrito: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo.” (Atos 2.38).

Em Marcos 1.4 também lemos: “Apareceu João batizando no deserto, e pregando o batismo de arrependimento, para remissão dos pecados.” A mensagem de Cristo fora espalhada pelo mundo em obediência ao mandamento que ele dera aos seus discípulos dizendo-lhes: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” (Marcos 16.15,16)
Uma mensagem especial para os salvos

Em Hebreus 2.1-3 lemos assim: “convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas. Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda a transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição, como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram.” Então a grande questão é: já estamos salvos? Este é o assunto mais importante do mundo, exatamente porque diz respeito a toda nossa eternidade salvos ou perdidos.

Assuntos relacionados:
Onde estaremos na eternidade?
Falando com Deus em oração

 

Céu, a morada de Deus

O que não haverá na cidade de Deus

Na cidade de Deus não haverá nenhum tipo de violência, morte ou maldição. Está escrito: “E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira, mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.”(Apocalipse 21.27); “E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão.” (Apocalipse 22.3); “E Deus enxugará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque as primeiras coisas já passaram.” (Apocalipse 21.4)

O que haverá nesta cidade

Imagem da morada de Deus“Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente.” (Salmos 16.11) “Riqueza e honra estão comigo; sim, riquezas duráveis e justiça. Melhor é o meu fruto do que o ouro, sim, do que o ouro refinado; e as minhas novidades, melhores do que a prata escolhida.” (Provérbios 8.18,19)

Para quem a cidade está preparada

Disse Jesus: “Pai, aqueles que me deste quero que onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me amaste antes da fundação do mundo.” (João 17.24) “E o que estava assentado no trono disse: Faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve, pois estas palavras são fieis e verdadeiras.” (Apocalipse 21.5)

O perfil dos habitantes

“Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que tenham o direito à árvore da vida e possam entrar na cidade pelas portas. Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e pratica a mentira.” (Apocalipse 22.14,15)

Como se preparar para habitar na cidade

É verdade que o pecado de Adão e Eva nos tornou injustos diante de Deus. A Bíblia diz: “Não há um justo, nem um sequer!” (Romanos 3.10) Mas Deus em seu grande amor providenciou a nossa justificação em Jesus Cristo. Em Romanos 4.25 lemos: “Ele foi entregue por nossos pecados e ressurgiu para a nossa justificação.”

Uma vez justificados nosso relacionamento com Deus é restabelecido. Isto ocorre na vida de todo aquele que se arrepende de seus pecados. Em 1 João 1.9 lemos: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar de toda injustiça.” Não importa o que temos feito de errado. Deus deseja nos justificar. Em Isaías 1.18 está escrito: “Vinde então, e argüi-me, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.”

O resultado da justificação é a herança do céu: “Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna.” (Tito 3.7) Uma vez justificados, somos também santificados (separados do pecado) para podermos habitar com Deus. Em Salmos 24.3-6 lemos assim: “Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente. Este receberá a bênção do Senhor e a justiça do Deus da sua salvação. Esta é a geração daqueles que buscam, daqueles que buscam a tua face, ó Deus de Jacó.”

Cristo espera por uma decisão nossa

“Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” (Apocalipse 3.20) Brevemente Cristo se manifestará para levar para si aqueles que mantiveram uma relacionamento com Deus. Em 1 João 3.2,3 lemos: “Amados agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que haveremos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como ele é o veremos. E qualquer que nele tem esta esperança purifique-se a si mesmo, como também ele é puro.” Você já tem esta esperança, caro leitor?

Textos relacionados:
Quem é Deus?
Falando com Deus em oração
A Grande Comissão

Quem crer será salvo!

Crer ou não crer é uma questão de escolha. Em relação a qualquer assunto podemos mostrar confiança ou ceticismo. Quando olhamos para a criação de Deus podemos decidir se vamos crer no autor do universo ou não. Deus não tenta provar a sua existência. As declarações em sua Palavra são definitivas. Em Gênesis 1.14 a Bíblia diz assim: “E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos.”  As provas naturais da existência de Deus são muitíssimas: sol, lua, estrelas, chuva, vento, estações, o homem, os animais, etc.

Em Mateus 16.1-3 lemos assim: ”E, chegando-se os fariseus e os saduceus, para o tentarem, pediram-lhe que lhes mostrasse algum sinal do céu. Mas ele, (Jesus) respondendo, disse-lhes: Quando é chegada a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está rubro. E, pela manhã: Hoje haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Hipócritas, sabeis discernir a face do céu, e não conheceis os sinais dos tempos?

Cristo deixou claro que temos elementos suficientes no céu e na terra para crermos em Deus. No caso dos fariseus, tratava-se apenas de rebeldia por parte deles em não crer em Jesus como Salvador. Podemos compará-los a um paciente que se recusa a tomar o medicamento o qual o médico prescreveu corretamente. De igual modo, quando Cristo veio ao mundo como Salvador alguns não admitiam a doença do pecado e se recusaram a se converter. Cristo solenemente os advertiu: “Os sãos não necessitam de médico, mas sim os doentes; eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores ao arrependimento.” (Marcos 2.17) Em Provérbios 30.12 também lemos assim: “Há uma geração que é pura aos seus próprios olhos, mas que nunca foi lavada da sua imundícia!”

Deus declara em sua Palavra que todos nós nascemos infectados pelo pecado. Romanos 3.12 é um exame fiel de cada ser humano: “Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.” O remédio que Cristo estabeleceu para resolver o nosso problema chama-se arrependimento. Há inúmeras ocorrências sobre este assunto nas Escrituras.

Um exemplo bíblico e da história universal

Muitos historiadores consideram Nínive como uma das cidades mais cruéis da antiguidade. Deus em sua justiça poderia ter destruído Nínive (se Ele quisesse), mas em sua grande compaixão Deus enviou para lá o profeta Jonas e os ninivitas se converteram! Cristo usou exatamente o exemplo dos ninivitas para advertir seus ouvintes, dizendo-lhes: “Os ninivitas ressurgirão no Juízo com esta geração, e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis que está aqui quem é mais do que Jonas.” (Mateus 12.41)

Cristo como Salvador

É claro que não podemos comparar Cristo com Jonas, mas Ele disse “mais que Jonas” porque Ele estava como Messias na terra para salvá-los do poder do pecado e de suas conseqüências temporais e eternas. Em Jonas 2.9 lemos assim: “Ao Senhor pertence a salvação!”

Além de ser o autor da salvação Cristo também é o Juiz da humanidade. Desde a sua vinda a este mundo Ele vem atuando como Salvador. Seu próprio nome enfatiza isto. Vejamos Mateus 1.21: “E dará à luz um filho e chamarás o seu nome Jesus; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.”

Cristo como Juiz

Cristo também é o Juiz de toda a terra. Em João 5.22,17 Ele se expressou assim: “E também o Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o juízo; e deu-lhe o poder de exercer o juízo, porque é o Filho do homem.” Mesmo sendo o juiz do mundo Cristo espera que cada um se arrependa.

Em João 12.47,48 Jesus disse assim: “Se alguém ouvir as minhas palavras, e não crer, eu não o julgo; porque eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo. Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia.” Foi por esta razão também que o apóstolo Paulo também escreveu: “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam; porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos.” (Atos 17.30,31)

O ceticismo não vale a pena

Em João 3.36 Cristo diz: “Todo aquele que crê no filho tem a vida eterna, mas todo aquele que rejeita o filho não verá a vida, pois sobre ele permanece a ira de Deus.” Estar debaixo da ira de Deus corresponde uma eternidade sem Cristo.

Obviamente todos nós partiremos um dia para a eternidade e lá estaremos salvos ou perdidos, melhor dizendo, no céu ou no inferno. O nosso destino é determinado por nossas escolhas. A nossa decisão para a salvação é então a maior prioridade de nossa existência na terra. Por esta razão Deus tem promessas preciosas para quem “está em Cristo”, ou seja, para quem já recebeu a Cristo como Salvador. Em Romanos 8.1 isto está bem explicado: “Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.”

Permanecer no ceticismo não compensa. Afinal os incrédulos estão entre os primeiros da lista dos perdidos. Assim está escrito: “Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.” (Apocalipse 21.8) Os tímidos neste texto são os covardes, aqueles que se envergonham da Palavra de Deus. Cristo afirmou: “Porquanto, qualquer que, entre esta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai, com os santos anjos.” (Marcos 8.38)

O melhor que fazemos é crer em Cristo e em sua Palavra, mas não somente isto, mas recebê-lo como Salvador. Em 1 João 1.9 está escrito: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” Confessar significa concordar com Deus que somos pecadores carentes de salvação! Você já fez esta importante decisão em sua vida?

O resultado de crermos e obedecermos a Cristo é altamente compensativo. Veja apenas este dois textos:

“Pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo.” (2 Pedro 1 : 4)

“Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis. Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.” (2 Pedro 1.10,11)

Textos relacionados:
O assunto mais importante do mundo
Onde estaremos na eternidade?
O verdadeiro sentido da páscoa
Estudos para Novos convertidos
O fruto do Espírito Santo

Onde estaremos na eternidade?

No início do mundo, por uma decisão induzida por Satanás, Adão e Eva arruinaram o nosso destino eterno escolhendo o caminho do pecado, e assim a morte espiritual passou para todos. Em Salmos 51.5 lemos assim: “Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.” Em Romanos 3.23 temos o veredito final de Deus: “por que o salário do pecado é a morte.”

Embora perdidos por esta decisão, Deus em sua graça interveio dando-nos uma grandiosissima promessa. Em 1 João 1.25 lemos sobre ela: “Esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna.” Então Cristo veio ao mundo para mudar o nosso destino eterno. Justamente para que não fôssemos para a eternidade perdidos Ele foi sacrificado em uma cruz pagando o alto preço de nossos pecados. Só nos resta agora receber o seu precioso perdão e iníciarmos um relacionamento com Ele. Este é o único meio para sermos salvos da perdição eterna.

Será que todos sabem disto? Devido ao desconhecimento desta verdade, Cristo ordenou que se pregasse o evangelho a toda criatura, a fim de que cada um tenha a sua oportunidade de se arrepender. Em Marcos 16.15,16 Cristo diz: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” A apostolo Pedro também falou desta ordem que recebeu de Cristo. Ele disse: “E nos mandou pregar ao povo, e testificar que ele é o que por Deus foi constituído juiz dos vivos e dos mortos.” (Atos 10.42)

Na eternidade cada um de nós estará salvo ou perdido. Mediante o arrependimento e a fé em Cristo somos justificados de nossos pecados. Paulo esclareceu isto aos coríntios quando eles se converteram: “Não sabeis que osinjustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os imorais, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os homossexuais passivos ou ativos, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os caluniadores, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus. Tais fostes alguns de vós. Mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus.” (1Coríntios 6.9-11)

Uma escolha individual
Se rejeitarmos a vida eterna em Cristo, uma vez na eternidade é inútil se arrepender lá. Em Hebreus 9.27 está escrito: “Aos homens está ordenado a morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo.” Porém quanto aos que partiram salvos, estes não entrarão em juízo. Cristo afirmou: “Em verdade em verdade vos digo, que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em juízo, mas passou da morte para a vida.” (João 5.24) Você já passou da morte espiritual para a vida eterna?

Textos relacionados:
Salvação, será que levamos este assunto a sério?
Algo pode mudar a fidelidade de Deus?
Perguntaram a Jesus: Senhor, são poucos os que se salvam?

São poucos os que se salvam?

Quando Jesus se dirigia a Jerusalém alguém lhe perguntou: Senhor, são poucos os que se salvam? E ele lhe respondeu: Esforçai-vos por entrar pela porta estreita; porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão.” (Lucas 13)

Por que muitos não poderão entrar
Na resposta de Cristo fica claro que não podemos entrar no reino de Deus à nossa própria maneira. A mensagem central dele desde no início de seu ministério foi esta: “Arrependei-vos e crede no Evangelho.” (Marcos 1.15) Se o arrependimento é necessário para sermos salvos, é porque nascemos em pecado e bem dispostos a viver a nosso bel prazer! Reconhecer este fato é o primeiro passo rumo à salvação e poucos são os atentam para esta realidade.

Imagem de São poucos os que se salvam

Muitos acreditam que já estão salvos

Este mundo possui sua própria filosofia de vida e até considera o pecado como algo normal e necessário à vida. Mas esse discurso não corresponde ao que Deus estabeleceu em sua Palavra. O apóstolo Paulo enfatizou aos efésios: “Bem sabeis isto, que nenhum imoral, ou impuro, ou ganancioso, que é idólatra tem herança no Reino de Cristo e de Deus. Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.”(Efésios 5.5,6) O apostolo Tiago também declarou: “E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.” (Tiago 1.22)

A salvação não é um discurso vão
Quem nunca ouviu a história do grande dilúvio que Deus enviou ao mundo por causa da desobediência humana? Em Hebreus 11.7 lemos assim: “Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé.” (Hebreus 11.7) Aqui se conclui que Deus tem apenas duas formas de lidar com o pecado: ou ele perdoa ou pune a desobediência. Porém o grande desejo de Cristo é salvar. Em Isaias 59.1-3 está bem claro: “Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça. Porque as vossas mãos estão contaminadas de sangue, e os vossos dedos de iniqüidade; os vossos lábios falam falsidade, a vossa língua pronuncia perversidade.” Em uma situação dessas, quem não precisa se arrepender? Os que pereceram no dilúvio estão agora aguardando o dia do juízo onde serão condenados eternamente. Deus, porém preparou um descanso para os salvos. Em Hebreus 4.11 está escrito assim: “Procuremos, pois entrar naquele repouso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência.” (Hebreus 4.11)

Textos relacionados:
O reino de Deus está próximo!
Importa obedecer a Deus?
Salvação, será que levamos este assunto a sério?
A obediência a Deus

Terei outra oportunidade?

O apóstolo Paulo perguntou ao rei Agripa:

Crês tu nos profetas, ó rei Agripa? Bem sei que crês. E disse Agripa a Paulo: Por pouco me queres persuadir a que me faça cristão!” (Atos 26.27)

Até aqui o rei ouviu a mensagem do apóstolo Paulo. Mas ele perdeu sua grande oportunidade de saber o que os profetas falaram sobre Jesus. Isto era fundamental para o rei compreender porque Cristo veio ao mundo.

O que os profetas disseram sobre Jesus

O profeta Isaias, por exemplo, profetizou sobre a necessidade do sacrifício de Cristo por nossos pecados. Em Isaias 53.5,6 lemos assim: “Mas Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.”

Porque o Senhor fez cair nossos pecados sobre Cristo

o amanhã

Logicamente todo erro é passível de punição. O problema é que a penalidade do pecado é muito alta e não teríamos condição nenhuma de pagá-la. Qual é o preço? A perdição eterna no inferno. Seria justo irmos para lá depois da morte física uma vez que fomos contaminados pelo pecado original. Isto é o que está escrito em Romanos 3.23: “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.” O que poderia então ser feito por nós? Deus, para não ferir a sua justiça, lançou sobre Cristo o castigo que era nosso! Esta é a mensagem principal dos profetas. Deus até estabeleceu todo o significado da pascoa para compreendermos esse livramento e libertação do poder do pecado.

A compaixão de Deus

Em Colossenses 2.14 temos uma explicação do alto preço que Cristo pagou por nossos pecados: “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.” Em 1 Pedro 1.18 lemos também: “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado.”

A nossa única oportunidade

É possível alguém ainda ir para o inferno mesmo depois do sacrifício de Cristo? Sim, desde que a pessoa continue vivendo naturalmente no pecado, sem considerar o que Cristo fez em nosso favor. Em Atos 3.19 está escrito assim: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor.” Qual foi o mandato de Cristo aos apóstolos? Pedro declarou: “E nos mandou pregar ao povo, e testificar que ele é o que por Deus foi constituído juiz dos vivos e dos mortos. A este dão testemunho todos os profetas, de que todos os que nele crêem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome. (Atos 10.42,43)

Não considerar o sacrifício de Cristo e morrer sem o perdão de seus pecados significa que vai aguardar o julgamento final. Por isso Cristo nos advertiu: “Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.” (João 5.24)

O rei Agripa teve uma grande oportunidade de se converter mas desprezou-a. No século 21 temos a mesma oportunidade! Então precisamos atentar para o que Deus deixou escrito: “Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram.” (Hebreus 2.3)

A oportunidade de salvação pode ser perdida de duas maneiras: morrer em pecado (na desobediência) ou ser surpreendido pela volta repentina de Jesus, pois Ele voltará outra vez aqui para levar para si aqueles que se converteram mediante a pregação da Palavra da verdade. Em Hebreus 9.28 lemos: “Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá a segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.”

Por que Cristo ainda não voltou?

Em 2 Pedro 3.9 temos a exata explicação: “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é paciente para conosco, não querendo que ninguém se perca, mas que todos venham a arrepender-se.” Hoje é a nossa oportunidade. O amanhã pertence somente a Deus. Cristo nos advertiu sobre sua volta: “Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.” (Mateus 24.42) Estamos preparados para a segunda vinda de Cristo? Antes disso precisamos de um um encontro pessoal com ele.

Textos relacionados:
Por que Cristo ressuscitou dentre os mortos?
Onde estaremos na eternidade?