linguas estranhas

Línguas Estranhas

Assim como a assunto Batismo com o Espírito Santo divide as opiniões entre a comunidade cristã, o falar em outras línguas não é diferente, pois de um lado temos o grupo que afirma que o termo bíblico falarão novas línguas se refere a línguas dos homens, como por exemplo: Grego, Hebraico, Latim, inglês e outras, já o outro grupo que afirma que o mesmo termo bíblico se refere a línguas estranhas, língua dos anjos ou oração no Espírito. Nesse estudo iremos avaliar de forma bíblica e coerente esta questão, expondo nosso posicionamento, mas não menosprezando os que pensam diferente, até porque esse assunto não se trata de uma doutrina essencial pra salvação, “Nas coisas essenciais unidade, mas nas segundarias, tolerância e em tudo o Amor”.

Falarão Novas Línguas!

linguas estranhas

A promessa:

Antes de tudo quero enfatizar uma promessa de Deus em relação as línguas estranhas citada pelo Apóstolo Paulo em [tooltip tip=”1Co 14:21 Na lei está escrito: Falarei a este povo por homens de outras línguas e por lábios de outros povos, e nem assim me ouvirão, diz o Senhor.”]1 Co 14:21[/tooltip]. Nesse texto a palavra usada para línguas é a palavra: heteroglossos, que significa: alguém que fala em uma língua estrangeira ou estranha (concordância de Strong), essa promessa ou profecia foi citada em um contexto onde Paulo estava ensinando sobre o falar línguas e a profetizar, e é neste mesmo contexto que ele cita a profecia de [tooltip tip=”Isaias 28:11 Pelo que por lábios gaguejantes e por língua estranha falará o SENHOR a este povo,
12 ao qual ele disse: Este é o descanso, dai descanso ao cansado; e este é o refrigério; mas não quiseram ouvir”]Isaias 28:11-12[/tooltip] a versão ARA diz que por meio de lábios gaguejantes e línguas estranhas falarei a este povo.

.

Línguas de Homens ou línguas Estranhas?

Muitos pelo fato da Bíblia dizer em Atos 2 que os que ouviam diziam: nós os ouvimos na nossa própria língua, afirmam que não existe as línguas sobrenaturais, ou seja, as línguas estranhas.

Então, o que a Bíblia fala sobre esse assunto?

Como se trata de um tema delicado, torna-se necessário estudaras as palavras, o texto e o contexto, para que ao final não haja dúvidas. As palavras usadas para descrever línguas em [tooltip tip=”Atos 2:4 Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, Atos 2:6 porquanto cada um os ouvia falar na sua própria língua.”]Atos 2:4 e 6[/tooltip] não se trata da mesma palavra. vejamos abaixo na concordância de strong, cada palavra com seus significado.

Atos 2:4 Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas.

Atos 2:6 porquanto cada um os ouvia falar na sua própria língua.

No Vs-4, a palavra usada para línguas é Glossa. que significa: 1. Língua como membro 2. idioma ou dialeto usado por um grupo particular de pessoas, diferente dos usados por outros povos.

Já no vs-6 a palavra é dialektos, que significa: 1 conversação, fala, discurso, linguagem 2. língua ou a linguagem de cada povo.

A palavra Glossa, usada no verso 4 indica que os que falavam, falavam em um dialeto diferente, particular, e não como quem fala em idioma usado por outros povos como é o casa da palavra dialektos, que indica uma língua usada por outros povos.

No vs-6 a palavra dialektos, foi colocada aos que ouvem, ouvem no seu próprio idioma, sabemos que na ocasião havia pessoas de vários idiomas, ou seja o Espirito pela boca dos discípulos falou em suas próprias línguas particular, e o que tudo indica é que o próprio Espírito tenha traduzido estas línguas pra os idiomas dos povos ali presentes, isso chama-se interpretação de língua, pois na versão NVI diz: Verso-6 Ouvindo-se este som,(em outras versões “ruído“) ajuntou-se uma multidão que ficou perplexa, pois cada um os ouvia falar em sua própria língua e também no verso [tooltip tip=”Atos 2:11 tanto judeus como prosélitos, cretenses e arábios. Como os ouvimos falar em nossas próprias línguas as grandezas de Deus?”]11[/tooltip], claramente os textos nos revelam que cada um, (referindo-se aos povos) os ouvia (referindo-se aos discípulos), falar na sua própria língua, ou seja, cada nação ouvia cada discípulo falar a sua própria língua, sinceramente não só pelo texto acima citado mas também por vários outros que iremos apresentar a diante, faz mais sentido crer que o Espírito tenha traduzido sua própria língua para vários povos, do que cada discípulo “que era uns 120” falace na língua particular de cada povo, pois se assim fosse cada discípulo teria que falar pelo menos em 16 idiomas.

Outro detalhe muito importante, é o de que eles (os povos) primeiro ouviram um som ou ruído, note que eles não ouviram primeiro a tradução para sua língua, e sim um ruído, a palavra ruído denota algo fora de compreensão, ou seja pelo fato deles não compreenderem o que estavam ouvindo logicamente não podiam definir ou descrever exatamente uma palavra o que realmente era aquilo que ouviam, ora se fosse uma língua conhecida, não teria necessidade de colocar essa palavra indefinida ruído ou som.

Há ainda um outro detalhe no verso [tooltip tip=”Atos 2:13 Outros, porém, zombando, diziam: Estão embriagados!”]13[/tooltip], que é o fato de Lucas ter escrito que alguns homens zombavam dos discípulos, dizendo que estavam bêbados, ao que tudo indica esses homens eram concidadãos dos discípulos, porque os que não eram estavam entendendo em sua propina língua. Também esses homens pelo fato de que todos os anos os judeus de outras línguas e nações vinha a Jerusalém certamente eles já conheciam o que e como era os idiomas estrangeiros, mas porque zombavam da língua falada pelos discípulos? Não seria o caso de que eles estavam ouvido algo que pra eles parecia apenas um barulho estranho, ou uma língua estranha nunca antes ouvida? Sem falar que certamente a fonética dessas línguas não faziam sentido algum é que zombavam e diziam: estão bêbados.

O argumento de que era língua dos homens por haver ali vários povos, não se sustenta quando comparamos a outros relatos das escrituras que menciona o falar em línguas, como quando o Espírito veio sobre os discípulos em [tooltip tip=”Atos 10:44 Ainda Pedro falava estas coisas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. 45 E os fiéis que eram da circuncisão, que vieram com Pedro, admiraram-se, porque também sobre os gentios foi derramado o dom do Espírito Santo. 46 pois os ouviam falando em línguas e engrandecendo a Deus. Então, perguntou Pedro.”]Atos 10:44-46[/tooltip] e em [tooltip tip=”Atos 19:6 E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e tanto falavam em línguas como profetizavam.”]2Atos 19:6[/tooltip] , pois nesses casos todos falavam a mesma língua, e os que ouviam o apostolo já estavam entendendo perfeitamente a mensagem e não havia necessidade de se falar outro idioma naquela reunião. Também quando lemos [tooltip tip=”1Co 14:2 Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.”]1 Co 14:2[/tooltip] onde o texto diz que quem fala em línguas estranhas não fala a homens e sim a Deus, visto que ninguém o entende e em espirito fala mistérios. Ora, se essa afirmação de Paulo é verdadeira os discípulos em atos capítulo dois não  estavam falando pra homens, mas sim à Deus, logo ninguém podia entender de fato, eles apenas estavam falando em línguas estranhas aos homens, por essa razão, os que não receberam a tradução dada pelo Espírito, zombavam dos discípulos.

Paulo ainda declara em: [tooltip tip=”1Co 14:3 Mas o que profetiza fala aos homens, edificando, exortando e consolando.”]1 Co 14:3[/tooltip] que os que profetizam fala aos homens, observe que em atos 2 os discípulos não estavam profetizando, estavam falando em línguas (ou seja: não estavam falando com os homens), porque não falavam línguas de homens, já em atos 19:6 eles tanto falavam em línguas como profetizavam, ou seja, eles tanto falavam em línguas com Deus em mistério, como falavam e exortavam os homens quando profetizavam na língua dos homens, porque quando falavam em línguas estranhas, a igreja não podia entender pois só Deus é que entende, mas quando profetizavam a igreja era edificada porque entendia tudo. Na igreja de Corinto Paulo falando a respeito da oração em línguas ele diz que são palavras incompreensíveis [tooltip tip=”1Co 14:9 Assim também vós, se com a língua não pronunciardes palavras bem inteligíveis, como se entenderá o que se diz?.”]1 Co 14:9[/tooltip]. Agora imagine só uns 120 homens falando ao mesmo tempo, em 16 línguas e línguas incompreensíveis será que aquele povo podia entender?

Língua Espiritual

Há pelo menos dois versículos que afirmam que esses línguas que viria após a decida do Espírito Santo, não são línguas vinda da mente humana, esses textos falam claramente que os que falam ou oram em línguas oram ou falam em espirito, e que a mente fica infrutífera, ou seja o próprio orador não entende, 1Co 14:14 Porque se eu orar em língua, o meu espírito ora, sim, mas o meu entendimento fica infrutífero. 1Co 14:2 Porque o que fala em língua não fala aos homens, mas a Deus; pois ninguém o entende; porque em espírito fala mistérios. Por isso Paulo ainda afirma que o que fala em Língua na igreja é menor que o que profetiza na igreja, pois ás línguas ninguém entende, logo a igreja não é edificada, mas o que profetiza todos entendem e a igreja é edificada.

No paragrafo acima, chegamos a conclusão de que orar em línguas na igreja não faz muito sentido, ou não há muito proveito para a assembleia, mas por quê? Porque as línguas nunca foram para a edificação da igreja no sentido coletivo, e sim no sentido individual, olha só o que Paulo diz em “1Co 14:4 O que fala em língua edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja”, ele resume bem o que vinha falando nos versos anteriores, ou seja, o que profetiza fala á igreja, edifica á igreja, mas o que fala em línguas fala em espirito com Deus, e só edifica a si mesmo, a edificação da oração em línguas acontece no homens interior, no espírito do que ora, a mente fica infrutífera mas o espírito não.

De certo Paulo entendia que falar em línguas estranhas na igreja não tinha muito proveito, pois que edificação há em alguém ouvir uma língua inteligível ou estranha? Nota-se que Paulo tinha o costume de falar e orar em outras línguas, mas não na igreja, ou em público, pois ele disse em 1Co 14:18 “Dou graças a Deus, que falo em línguas mais do que vós todos” e logo em seguida ele diz: 1Co 14:19 “Todavia na igreja eu antes quero falar cinco palavras com o meu entendimento, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua”.

Paulo em 1 Co 14:5 expressa seu deseja de que todos falacem em línguas. e ainda falando aos Efésios e na carta de Judas [tooltip tip=”Efésios 6:18 com toda a oração e súplica orando em todo tempo no Espírito e, para o mesmo fim, vigiando com toda a perseverança e súplica, por todos os santos,”]Ef 6:18[/tooltip], [tooltip tip=”Judas 1:20 Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo,”]Judas 1:20[/tooltip].

Já é tempo de compreendermos que mediante o uso das línguas podemos enriquecer nossa vida espiritual, edificando-nos a nós mesmos. Há bênçãos e maravilhas a serem desfrutadas no uso desta prática. E sei que o apóstolo Paulo não pensava de forma diferente, pois chegou a ponto de declarar: “Dou graças ao meu Deus, que falo em línguas mais do que todas vós.” (1 Co:14:18). Então oque você está esperando? Busque o batismo com o Espírito Santo e comece a edificar-se a si mesmo orando no Espirito, (orando em línguas).

Deus Abençoe a todos!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.